link rel=alternate type=application/rss+xml title=RSS-Feed href=http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=10type=100 /

Login

Informe seu login e senha para acessar a área restrita:

Login:
Senha:
 
Data: 05.11.2019 15:58
Categoria: Notícias em Foco, Igualdade/Oportunidade

Subsede da CUT comemora Dia da Consciência Negra


O Coletivo de Combate ao Racismo da subsede da CUT (Central Única dos Trabalhadores) programou três eventos em Campinas, em comemoração ao Dia da Consciência Negra (20 de novembro). Em Campinas, é feriado desde 2002 (lei 11.128). A abertura da comemoração aconteceu no dia 30 de outubro, na subsede da CUT (Rua Culto à Ciência, 56, Centro). Na ocasião foi apresentado o calendário temático.

Programação

7 de novembro: exibição do documentário “Campada Maria” e debate na sede do Sinergia (Rua Dr. Quirino, 1.511, Centro). 18h.

20 de novembro: Marcha Zumbi dos palmares “Vidas negras importam”. Concentração na Estação Cultura. 10h.

29 de novembro - Sexta cultural: “Juventude Negra quer viver”, com Nil Sena e Yjexalá Sopraelas, no Sindicato da Construção Civil (Rua Barão de Jaguara, 704, Centro, Campinas). 18h.

Consciência Negra: origem

No dia 20 de novembro de 1695, foi assassinado Zumbi, um dos últimos líderes do Quilombo dos Palmares, que se transformou num símbolo da resistência negra ao escravismo e da luta pela liberdade. A escolha do dia 20 de novembro, segundo o historiador Flávio Gomes, do Departamento de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, não é uma simples oposição ao dia 13 de maio. “Os movimentos sociais escolheram essa data para mostrar o quanto o país está marcado por diferenças e discriminações raciais. Foi também uma luta pela visibilidade do problema. Isso não é pouca coisa, pois o tema do racismo sempre foi negado, dentro e fora do Brasil. Como se não existisse”, destaca o historiador.

Zumbi - Estudos indicam que nasceu em 1655 no quilombo, sendo descendente de guerreiros angolanos. Com poucos dias de vida, foi aprisionado pela expedição de Brás da Rocha Cardoso, sendo entregue depois a um padre, que o batizou com o nome de Francisco. Aos 15 anos, ele foge da casa do padre e retorna a Palmares, onde muda o nome para Zumbi. Ficaria conhecido em 1673, quando a expedição de Jácome Bezerra foi desbaratada. Um ano antes de sua morte, caiu em um desfiladeiro após ser baleado num combate contra as tropas de Domingo Jorge Velho, que seria mais tarde acusado de matá-lo. Dado como morto, Zumbi reaparece em 1695, ano oficial de sua morte.

Feriado na região: Amparo, Aguaí, Cabreúva, Hortolândia, Itatiba, Jaguariúna, Louveira, Mogi Guaçu, Pedreira, São João da Boa Vista, Serra Negra, Sumaré e Valinhos.

Fonte (sites: comciencia.br; mundonegro.com.br)


Imprimir       Enviar por email

Comentários

Sem comentários


Adicionar comentário

* - campo obrigatório

*




Imagem CAPTCHA para prevenção de SPAM
Se você não conseguir ler a palavra, clique aqui.
*
*