link rel=alternate type=application/rss+xml title=RSS-Feed href=http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=10type=100 /

Login

Informe seu login e senha para acessar a área restrita:

Login:
Senha:
 
Data: 02.07.2018 15:01
Categoria: Notícias Gerais, Itaú

Itaú pressiona funcionários com “controle de vendas”


O Itaú implantou recentemente um sistema denominado SQV (Score de Qualidade de Vendas), que está enlouquecendo os funcionários. Não bastasse a insistente cobrança por vendas de produtos, visando cumprir metas absurdas, o SQV surge para quantificar a eficiência, o desempenho de cada funcionário, anuncia o Itaú. Pura balela.

O sistema possui sete indicadores: nível de cancelamento de produtos; cancelamento de produto seguido de nova contratação; reclamações; ações cíveis; concentração de vendas no mesmo CPF; ressarcimentos; e cancelamento de crédito. Cada indicador representa uma pontuação (negativa), que é cumulativa e expira no prazo de um ano. A conferência, a fiscalização das vendas é feita por um empresa terceirizada que liga para o cliente adquirente de algum produto e faz uma série de perguntas não relacionadas ao atendimento prestado na agência. Os relatórios das pontuações são gerados em relação a dois meses anteriores ao mês atual. Ao atingir a pontuação máxima, o funcionário recebe a primeira advertência, que tem duração de um ano. A partir da segunda advertência, a demissão é praticamente certa.

Destacado como controle de qualidade, o SQV, na verdade, só confirma que a forte pressão exercida pelo gestores do Itaú, cobrando o cumprimento de metas inatingíveis, leva o funcionário ao erro, a realizar vendas a qualquer custo que resultam no curto prazo em cancelamento por parte do cliente e, consequentemente, em punição que vai da advertência até a perda do emprego. De quebra, o funcionário ainda adoece. Ou, como vaticina o filosofo sul-coreano Byung-Chul Han, “a sociedade do desempenho produz depressivos e fracassados”. O que não é o objetivo do trabalhador bancário.

Avaliação

Para o vice-presidente do Sindicato e integrante da Comissão de Organização dos Empregados (COE), Mauri Sérgio, “os bancários querem trabalho aliado com qualidade de vida; repudiam qualquer mecanismo que se resume em punição. Inclusive os sindicatos e o Itaú iniciam, neste mês de julho, o processo de negociação das questões específicas; momento para reafirmar a insatisfação com o controle draconiano das vendas, representado pelo SQV”.


Imprimir       Enviar por email

Comentários

Sem comentários


Adicionar comentário

* - campo obrigatório

*




Imagem CAPTCHA para prevenção de SPAM
Se você não conseguir ler a palavra, clique aqui.
*
*