link rel=alternate type=application/rss+xml title=RSS-Feed href=http://www.sindicatocp.org.br/index.php?id=10type=100 /

Login

Informe seu login e senha para acessar a área restrita:

Login:
Senha:
 
Data:
Categoria: Campanha Salarial 2010

Sindicatos querem reverter terceirizações


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os bancos não querem discutir a reversão das terceirizações em áreas onde acordos nesse sentido já foram negociados com algumas instituições. A informação foi repassada aos sindicatos pelos representantes da Fenaban durante reunião da Comissão Paritária sobre Terceirização, no último dia 7. Entre as áreas já revertidas com alguns bancos, estão tele-atendimento, financiamento de carros, telefonia, call-center ativo e receptivo e cartão de crédito. Os sindicatos destacaram ainda o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado com a Caixa Federal, que envolve a retaguarda, digitação e tecnologia.
Segundo a Fenaban, os bancos alegam ser impossível uniformizar, padronizar porque cada instituição adota estratégias e procedimentos próprios. No entanto, a Comissão definiu uma nova proposta. A Fenaban assumiu compromisso em rediscutir o tema novamente com os bancos e avaliar os entraves específicos em cada instituição. Além disso, vai discutir com cada banco se existem outras áreas onde é possível reverter a terceirização. Vencida essa etapa, a Comissão irá estabelecer as atividades que serão alvo de discussão específica. Aos sindicatos, segundo o presidente Jeferson Boava, que participou da reunião como representante da Federação dos Bancários de SP e MS, cabe definir as áreas prioritárias para iniciar o debate mais aprofundado. Como a Fenaban irá fazer nova consulta juntos aos bancos, a próxima reunião não foi agendada. A data deve ser confirmada, no entanto, no prazo de 15 dias.

 

Foto: Jailton Garcia/SEEBSP


Imprimir       Enviar por email

Comentários

Sem comentários


Adicionar comentário

* - campo obrigatório

*




Imagem CAPTCHA para prevenção de SPAM
Se você não conseguir ler a palavra, clique aqui.
*
*